Como qualquer criança sempre gostei de brincar, pular, cantar, rir e estar com amiguinhos, mas sobretudo era muito bom ficar sentada no chão do meu quarto copiando todos os desenhos de que gostava. Adorava sentar-me ao lado de um vizinho para ver surgir de seus riscos lindos desenhos. Nem sempre ele usava referência... era como se o lápis pudesse ver o que havia em sua mente. Isso me fascinava. Ficava encantada, e ainda fico, ao ver pessoas desenhando....nos trens, metrôs e pracinhas. Durante o período escolar aguardava ansiosa pelas aulas de artes. Receber, com o material novo, os lápis de cor, canetinhas e giz de cera era um momento único. Os anos se passaram e o interesse pelo desenho ficou adormecido, mas sempre ficava atenta quando o assunto surgia. Quando adulta decidi retomar essa paixão e, após indicação de uma grande amiga, fiz minha matrícula na Oficina Cultural Alfredo Volpi para o curso de Iniciação ao Desenho e não parei mais. Logo me formei em Artes Visuais. Com o término da faculdade abri mão das técnicas que nela conheci optando por seguir apenas com o desenho. Hoje percebo que em cada traço que faço fica um pouco de mim, da minha história e da maneira como vejo o mundo, seja no traçado duro e cinza dos dias nublados e frios, seja no traçado leve e de tons pastéis dos dias de paz ou ainda nas cores vibrantes que me exige os dias mais ensolarados.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Mimão do mês de Março: Estojo Polychromos 120 cores Faber Castell

Sim. Isso mesmo que você leu no título deste post: Estojo Polycrhomos 120 cores Faber Castell. (suspiros).

Eu nem sei direito o que escrever neste post por conta da emoção, mas vamos lá.

Ouvi falar de lápis de cor profissional através do meu primeiro professor de Artes, lá por volta de 2007. Antes o meu mundo era resumido em lápis nº2 de escrever, sulfite e borracha. Nada além disso. Amo esse professor por ter apresentado um mundo totalmente novo. Graças a ele conheci diversas técnicas, entre elas o lápis de cor *___*.  Desde então, comecei a pesquisar tudo sobre esta técnica e descobri as marcas: Caran d'acha (indicação do primeiro professor), Polychromos e Albrecht Dürer (ambas da Faber Castell) e Prismacolor. Quanto mais pesquisava, mais encantada ficava.

Anos depois encontrei um outro professor maravilhoso que dá aulas de lápis de cor, mas infelizmente por conta da faculdade minhas aulas não passaram de 3 presenças. O que na prática quer dizer: não aprendi nada. Apesar disso, o desejo de aprender a lidar com lápis de cor nunca morreu.

Há alguns meses decidi retomar o curso e adquirir um dos estojos. Fiz um planejamento e comecei a guardar uma quantia mensal. Exato! Infelizmente não tenho varinha mágica para dizer "Abracadabra" e meu desejo aparecer. Era preciso juntar, ter disciplina, foco e deixar de comprar outras coisas. Planejamento financeiro é tudo nessa vida. #ficaadica. Quando alcancei o objetivo corri para adquirir um dos estojos da lista e o escolhido foi o Polychromos.

Recebi meu estojo embalado numa caixa de papelão grossa. Ao abri-la meu coração bateu mais forte e sinceramente está difícil acreditar que arrematei uma belezura dessas.

Vamos as fotinhas \o/:

Recebi nessa caixa grossinha:

O estojo ficou bem acomodado:

Desculpe não conseguir fotografar tão bem. Namoridos não 
estava para ajudar. O estojo é de lata. Super bonitão.

No estojo também vem um CD com arquivos em PDF com
algumas lições/dicas e um panfleto falando de outros produtos ^_^. 

Os lápis ficam acomodados em bandejas de plástico (pouco resistentes) encaixadas 
uma sobre a outra. Para retirá-las basta puxar pela cordinha que tem do lado de cada bandeja. 
Veja abaixo: 



A bandeja tem o formato certinho para encaixar cada lápis.
O que evita ficarem rolando de um lado para outro. Veja:

Uma visão das 3 bandejas em fileirinha. Olha que LINDOOOO 
esse monte de cor!!!! Um verdadeiro arco íris. *___*

CD e panfleto que vem junto.

Aqui o fundo da lata com informações dos lápis.

Agora o detalhe dos lápis:

Todos tem uma numeração e o nome da cor. 


Consegui dar umas rabiscadas com os lápis (morrendo de dó de usar....hahaha) e realmente são bem macios apesar de serem permanentes. Ou seja, não são aquareláveis. Os lápis são mais grossos do que esses comuns e a mina também. Como ainda não apontei nenhum (ai que dó) não posso falar da madeira.
Agora só falta aprender a desenhar ;).

É ou não é o MIMÃO do mês??? Se duvidar o do ano!!!


Obs.: este é mais um post que está atrasado...sorry.

Até mais pessoas. :D



quarta-feira, 16 de abril de 2014

Lápis de cor aquarelável: Casinha


Sabe quando você realiza um trabalho em que o processo é prazeroso? Foi exatamente isso que aconteceu comigo na execução deste desenho. E eu simplesmente amo quando acontece isso porque entro em estado de êxtase e parece que estou em outro universo. Onde existem apenas o desenho, o material e eu. FELICIDADE define.

Já faz tempo que quero criar alguma coisa. Optei pela casinha por achar que seria mais fácil. Talvez você não veja nada demais e nem pense que é para tanto, mas eu curti demais e precisava compartilhar...rs

Vamos ver como foi.

Material:
Sketchbook da Canson;
Lápis de cor aquarelável Faber Castell Escolar e alguns Albrechet Dürer;
Pincel com reservatório;
Lápis 2B Faber Castell para esboço;
Borracha branca Staedtler;
Guache branco Acrilex;
Nanquim;
Pincel pelo de marta nºO;
Secador de cabelos.

Processo:
Após decidir desenhar a casinha, busquei referências no mundo "internético" que me encheu de ideias e entusiamo.Escolhi uma pequenininha (sorry não salvei a imagem) copiei à mão livre e fui fazendo algumas modificações singelas.
Depois escolhi a paleta de cores que deveria ser alegre e suave, mas não apagada. O fundo e o chão eu já tinha em mente como seriam antes mesmo de fazer o desenho.

E aqui está o resultado:
Obs.: os pontinhos brancos deveriam ser as estrelas e não neve...rs

Queria que o desenho remetesse à história infantil. Acham que consegui??? Seja sincero (a)!

Até a próxima pessoal!!!

domingo, 13 de abril de 2014

Lápis de cor Faber Castell: Releitura Marcello Barenghi

Este é o resultado da releitura que fiz de uns dos desenhos do Marcello Barenghi. Ele usa diversos materiais para realizar seus trabalhos.

Para este estudo utilizei os lápis de cor escolar da Faber Castell, caixa com 48 cores. Ao contrário do que eu imaginava não usei a "técnica de círculos" pequenininhos para pintar. Acreditem: é preciso passar o lápis em todas as direções, mas pedacinho por pedacinho.

Material utilizado:
papel Filiart Renaud 200gr;
lápis 2B para o esboço;
lápis de cor faber castell nºs: 009 - laranja claro, 047 - azul, 054 - azul claro, 081 - cinza quente, 097 - cinza escuro, 099 - preto.

Trabalho concluído em + ou - 7 hrs. 1hr por dia, aproveitando o tempo no trem indo para o traballho.

Um detalhe: o desenho/rascunho foi feito através de decalque e não à mão livre como costumo fazer. Pois só tenho aula de sábado durante 2 horinhas. Como sou lerda para copiar qualquer coisa não queria perder tempo. #aansiosa...rs

Estou amando trabalhar com cores. Já fazia tempo que queria colocar cor nos meus desenhos. Já estou com outro desenho em mão para apresentar na próxima aula.

PS: Não sei se assinei de forma correta o desenho. Se estiver errado por favor me avisem para eu corrigir. Não é correto colocar meu nome num desenho que não foi criado por mim.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Mimo do mês: Caran d'ache

Este post (e outros) está muito mais que atraso.

Acho que já comentei por aqui que todo mês me dou um mimo. Esse mimo pode ser qualquer coisa, no geral é sempre algo de artes..rs

No mês de Março resolvi me dar de presente uma caixa com 12 lápis de cor aquarelável da Caran d'ache que vi no siste O Projetista. (Lembrando que não recebo nada por dizer em qual site comprei e também não sou responsável caso você tenha algum problema com a loja citada. A compra é de SUA TOTAL RESPONSABILIDADE). Na verdade o sonho mesmo é aquele conjunto de 120 lápis *____*...rs

Vamos as fotinhas \o/
Recebi nessa embalagem

Gosto do cuidado que eles tem no envio do material. 
O plástico bolha ajuda a proteger dos impactos.


Tem algumas voltinhas de plástico bolha..rs 
O material fica bem no meio.


Ele vem numa caixinha triangular.

Tampinha que protege os lápis.


Um pouco do detalhe no lápis

Fiz uns rabiscos numa folha e senti que eles são bem macios. Infelizmente ainda não consegui parar para fazer um desenho e testar.

Um detalhe importante: não encontrei informações sobre essa linha da Caran d'ache nem mesmo no site da Canson, que é a distribuídora. Estou bem intrigada com isso. Se encontrar alguma coisa volto aqui para atualizar o blog.

Tchauzinho pessoal!!!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Sketchbook: Árvore finalizada


Enfim, a árvore finalizada. Não reparem na má qualidade da foto o namorido não estava disponível e eu mesma tive que tirar. =(
Infelizmente não tive ideias para utilizar todo o espaço em branco.
Passei spray verniz para o desenho não borrar.

Abs.

terça-feira, 25 de março de 2014

Borboleta: Lápis de cor aquarelável faber castell

Realizado no trem enquanto vou para o trabalho. Amei fazer essa pintura. Ainda não consegui utilizar o lápis de cor aquarelável de forma satisfatória, mas acredito que estou no caminho certo.

Visito VÁRIOS sites, blogs e vejo vídeos no youtube para aprender a trabalhar com lápis de cor. Sem contar os livros que li. Tudo isso gera uma carga muito legal de informação. Recomendo fazer isso.

Bom, vamos ao meu passo a passo...

1º passei uma cor verde esmeralda;
2º aquarelei;
3º passei o lápis de cor amarelo em todo o espaço;
4º passei o lápis de cor azul escuro somente nas bordas;
5º passei o lápis de cor amarelo para misturar;
6º passei o lápis de cor verde escuro nº63 em toda a borada;
7º passei o lápis de cor amarelo para misturar;
8º passei o lápis de cor verde claro;
9º passei o lápis de cor preto bem rente as bordas;
10º passei o lápis de cor amarelo para misturar.

Sim, eu sei. Foi exagero, mas no final a mistureba rendeu um desenho até que legal.

Confesso que com o "andar da carroagem" toda essa etapa reduziu...rs

Passei nanquim e fiz os pontinhos brancos com guache.

E até que enfim, um post com desenho finalizado \o/.


Até a próxima pessoal \o_

segunda-feira, 24 de março de 2014

Estudo: Giz Crayola


Mais dois estudos que fiz com o giz crayola para o retrato do meu sobrinho.

domingo, 23 de março de 2014

Mimo do mês: Giz de cera Acrilex, Faber Castell e Crayola

Estava louca para fazer esse post. Aliás, estou com vontade de fazer vários posts, mas o tempo não me permite. Chronos deve estar zangado comigo.

Vamos ao que interessa: GIZ DE CERA \o/
Neste post aqui falei um pouquinho sobre o giz de cera.

Tudo começou quando tive a ideia de fazer o desenho de uma foto do meu sobrinho Alexandre. Carinhosamente chamado por mim de: Alezinho, amor, princípe...rs Coisas de tia corujona *__*


Só que eu queria cores. Algo que realmente representasse o mundo infantil e na minha opinião o giz de cera se identifica muito com esse universo.

Bom, desenho feito e material escolhido era o momento de fazer os testes e descobrir como poderia usá-lo.

Eu já tinha em casa um jogo de 12 cores da Acrilex.



O estudo: 

Observações:
- embora a cera esteja misturada com o pigmento parece que são separados (melhor definição que encontrei)
- mais frágil, quebra fácil;
- impossível mesclar as cores;
- o branco não mistura nada;
- embora algumas cores mostrem ter o pigmento forte, acredito que a quantidade de cera não permite mesclas;
- as cores sozinhas são bonitas;
- cores fracas;
- algumas cores muito fracas: amarelo, salmão, verde claro;
- ao sobrepor, as cores não se mesclam; algumas "tampam" a que está por baixo;
- ao tentar misturar mesmo com força o giz começa a patinar logo,.


Não satisfeita, resolvi comprar e experimentar o giz de cera da Faber Castell. Paguei R$ 3,00 (precinho amigo \o/ ) numa caixa pequena com 15 cores.



O estudo:


- macio;
- cores parecem mais transparente;
- esfarela um pouquinho, nada demais;
- não é tão difícil misturar;
- cores lindas;
- tem mais brilho por conta da cera;
- mais frágil, quebra fácil; apesar de estar escrito na caixa que é mais resistente;


E para finalizar com glória e pompa: Giz de cera Crayola. Descobri essa marca fuçando na internet e fiquei muito curiosa, mas só encontrava em site gringo. No sábado (08/03) estava perambulando pela Ri Happy e sem querer achei num cantinho escondidinho essa caixinha com 24 cores. *___* Parecia criança,  e claro pedi embrulho para presente, como sempre..rs,rs,rs


A caixa é pequena, e eles ficam bem firmes dentro dela.

Olha que bacana! Cada lápis vem envolvido num papel 
com o nome da cor =)

O estudo:

- opaco \o/ , não fica brilhante;
- mais macio;
- mais fácil de misturar as cores, dá para fazer umas 3 camadas antes de começar a patinar;
- mais firme;
- cores fortes;
- o branco mistura bem, ou seja, funciona \o/;
- tanto misturadas como sozinhas as cores são lindas;
- mais variedade de cores (existe estojo com 150 cores. Necessito);
- cada giz está envolvido com papel que vem escrito o nome da cor. Detalhe que o nome está escrito no final assim você pode ir rasgando conforme a necessidade que o nome vai durar um bom tempo;
- não sei o que são esses brilhos, pensei que fosse purpurina ou excesso de calor/frio, mas não e não interfere na pintura;

Aqui estão os primeiros rascunhos do desenho. A ideia é rabiscar, deixar o traço mais solto, imprimir o gesto para ficar mais expressivo deixando de lado o realismo.

A princípio fui pegando as cores aleatoriamente, depois fui buscando harmonia.
Aqui fiz em papel vegetal.

Aqui papel sulfite A2.

O estudo ainda está rolando não quero me precipitar, por isso não tem um desenho final agora...rs

segunda-feira, 17 de março de 2014

Lápis de cor: Pássaro


Pintura realizada no trem enquanto vou para o trabalho. Confesso que fiquei decepcionada. Usei lápis de cor aquarelável, mas preferi não passar água para ver como o lápis reage. Fui sobrepondo as cores, mas este tipo de lápis "estoura" a cor muito rápido. Não usei força. Acredito que seja necessário mais testes para conseguir alcançar melhores resultados.

material: sketchbook Canson, lápis de cor aquarelável Faber Castell.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Comparação do Pastel Seco Toison D'or e Reeves

Faz tempo que estou devendo um post sobre esse tema para a Débora do blog No Canto da Mesa, Joyce do blog Caixola e para a Nane do blog Cappuccino com Nane chan. (E também devo outro post sobre pincel com reservatório =( , que vergonha!).

Vamos lá.

Eu tenho as duas marcas como explicado neste post aqui.

Fiz as comparações e achei as duas muito dignas. Ainda não usei o material para finalizar um desenho, mas já deu para notar nos testes que são boas.

O que elas tem de diferente é que a Toison D'or é muito macia e a Reeves é mais dura.

Na foto a seguir a tira de cima é da Reeves e a debaixo é da Toison D'or.

Na foto abaixo tentei usar as mesmas cores, ÓBVIO que nenhum estojo de marca diferente terá a cor idêntica, se duvidar nem da mesma...
As cores são bem vivas, né?! Dá para notar que a Toison D'or é um tiquinho mais pigmentada que a Reeves, mas sinceramente não vejo problema nisso.

Nessa foto aqui, resolvi fazer uma sobreposição e um degradê. Veja como ficou:


Nesta outra, se não tomo cuidado acabaria mesmo me confundindo....


Agora sim, não sei qual é qual...rs


Fiz o teste abaixo em papel Kraft do lado mais áspero.
Onde você lê:
dedo: significa que passei o pastel seco e misturei com os dedos (amo sujar as mãos);
puro: significa que fui passando o pastel seco e fazendo a mistura sem dedos, sem pincel, só com o pastel mesmo;
puro com pincel: significa que passei o pastel seco e entre os limites das cores usei o pincel para esfumar.

Dois fatores importantes: 

PAPEL
É importante usar papel mais áspero/poroso porque os papéis lisos não aderem o produto e você acabará se decepcionando e perdendo seu trabalho (tempo, produto e $$$).

Verniz Fixador
Sim, verniz! Se você quer manter seus desenhos lindos e sem borrões vai precisar fixar o produto no papel, que embora áspero/poroso não fará milagres.
Como usar:
Basta direcionar o bico numa distância de uns 20 ou 30 cm fazendo movimento de vai e vem de cima para baixo. Deixe secar e guarde em um plástico dentro de uma pasta. Eu costumo deixar secando de um dia para o outro só por garantia...rs



Conclusão Reeves:
- material duro;
- esfarela mais;
- boa pigmentação;
- sensação de que é mais "transparente/translúcido";
- mescla bem as cores;
- boa sobreposição.

Conclusão Toison D'or:
- material macio;
- quase não esfarela;
- ótima pigmentação;
- mescla bem as cores;
- boa sobreposição.

Algumas observações:
Gostei dos dois estojos e acredito que eles podem ser usados juntos.
Não vi problemas no fato do pastel Reeves esfarelar mais. Basta você arrastar a "poeirinha" com os dedos, ou pincel e continuar pintando para não desperdiçar. O único ponto negativo é a caixinha de plástico que acomoda os pastéis. Ela é muito apertada. Quebrei um pastel tentando tirar da caixinha =(.
Esse pastel da Reeves me passou uma sensação de que ele é "transparente/translúcido", não sei explicar melhor.

Já o Toison D'or é mega macio mesmo. Não esfarela muito ou quase nada..rs.

Você vai precisar de lápis pastel seco para fazer detalhes. Com esses não tem como detalhar.

Indico as duas marcas sem medo.

A Reeves tem preço amigo. Não lembro quanto paguei porque comprei nos tempos da facul, mas se eu consegui comprar nessa época é porque é mais baratinho..rs

A Toison D'or tem um preço salgado. Eu comprei o meu porque peguei uma promoção divina (aleluia, Senhor!) e também não lembro o preço.

As lojas que costumo comprar e que EU nunca tive problemas:
O Projetista.
Papelaria Universitária.

E não, não estou ganhando nada por mencionar essas lojas. Acho bacana indicar lojas porque sempre tem pessoas com dificuldades para encontrar sites que sejam de confiança. Que fique claro que EU NÃO TIVE PROBLEMAS. Não dou garantias, nem respondo por outras pessoas que possam ter tido. 

Nessas lojas sempre tem umas promoçõezinhas mega amiga. Fique de olho no site.

Ai você vai dizer: ah, Silvinha é fácil você dizer que as lojas são boas porque você está perto e vai lá buscar o material.
Engano seu baby. É mais fácil mandar entregar . Sim, mesmo morando em SP e tendo acesso à loja física eu compro pela internet pela falta de tempo.

Eu acho que é isso. Se eu lembrar de mais alguma coisa volto aqui.



Deixe seu comentário.

Até a próxima \o_

terça-feira, 11 de março de 2014

Sketchbook: Cadeira e piso xadrez


Outro desenho que ficou um tempão no sketchbook sem finalizar...

Depois de muito pensar decidi pintá-lo com lápis de cor aquarelável Faber Castell. Gostei de fazer esse desenho que me fez lembrar de Roy Lichtenstein. Achei que ficou com cara de HQ. Alguém mais também acha isso?

Gostei muito das cores que escolhi. Principalmente por conseguir fazer um fundo. \o/. Ainda estou pensando em fazer uma nova camada de amarelo para ficar mais forte e tirar esses branquinhos, mas não estou muito certa disso. Vai que me empolgo e estrago tudo...

Até a próxima pessoal. \o_

material: sketchbook Canson, lápis de cor aquarelável Faber Castell, lápis 2B Faber Castell e borracha branca Staedtler.


segunda-feira, 10 de março de 2014

Sketchbook: Torre com sino

Esse desenho (e outros) está mais que bem atrasado. Os festerês de carnaval já acabaram e agora que venho postar um desenho de observação feito no final de ano..foi malzaê.  Antes tarde do que nunca...rs

Fiz uns dias antes das festas de final de ano lá no Shopping Tatuapé.  Esse desenho ficou um tempão no sketchbook sem finalizar porque eu queria colocar COR, mas não sabia que material usar.

Bom, as canetinhas aquareláveis da Faber Castell (post aqui, aqui, aqui e aqui..rs) foram as escolhidas e para fazer a aguada usei o pincel com reservatório. (Sei que estou devendo um post sobre este pincel, mas não tenho conseguido tempo para fotografar =(   ) .

Sou sincera em dizer que gostei do resultado que consegui alcançar.


Sim, eu sei que faltou um fundo, mas vamos com calma. Ainda estou aprendendo a lidar com cores e fiquei morrendo de medo de estragar o desenho.

Finalizei enquanto aguardava, numa fila interminável, meu ônibus chegar.

Como fiz:
Para o telhado: Usei a cor marrom apenas. Contornei e com o pincel fui levando a cor para o centro deixando manchas. Depois de seco contornei novamente porque queria deixar as bordinhas mais escuras.

Para as paredes: Usei as cores amarelo e marrom. Contornei com amarelo e fui levando a cor para o centro deixando manchas. Depois de seco passei a cor marrom em alguns pontos e usei o pincel para fazer as manchas.

Para o sino: Usei as cores azul e marrom. Contornei com azul e fui levando a cor para o centro deixando manchas. Depois de seco usei o marrom em alguns pontos para fazer as manchas com pincel. Esperei secar e depois contornei com o azul para finalizar.

Observei que deixando o papel secar entre uma etapa e outra as manchas ficam mais visíveis. Quando o papel ainda está molhado as manchas se mesclam, mas ainda assim a cor escura sobressai. Se eu estiver errada por favor deixem nos comentários.

Acho que é isso pessoal. \o_

Material: canetinhas aquareláveis Faber Castell, lápis 2B Faber Castell e borracha branca Staedtler.

Sketchbook: Escada finalizada


Enfim, o desenho da escada finalizado. Espero que gostem.
Abs.

Material: sketchbook, lápis 2B,4B e 6B Faber Castell, grafite integral 6B Faber Castell, borracha branca Staedtler, lapiseira 0,5 grafite 2B Staedtler, verniz.